10 de agosto de 2010

A Mecânica do Coração - Opinião

Título: A Mecânica do Coração
Autor: Mathias Malzieu
Editora: Contraponto
Páginas: 144
Sinopse:
"Edimburgo, 1874. Jack nasce no dia mais frio do mundo, com o coração... congelado. A Drª Madeleine, a parteira (segundo alguns, uma bruxa) que o trouxe ao mundo, consegue salvar-lhe a vida instalando um mecanismo - um relógio de madeira - no seu peito, para ajudar o coração a funcionar. A prótese resulta e Jack sobrevive, mas com uma contrapartida: terá sempre de se proteger das sobrecargas emocionais. Nada de raiva e sobretudo nada de amor. A Drª Madeleine, que o adopta e vela pelo seu mecanismo, avisa: «o amor é perigoso para o teu coraçãozinho.»
Mas não há mecânica capaz de fazer frente à vida e, um dia, uma pequena cantora de rua arrebata o coração - o mecânico e o verdadeiro - de Jack. Disposto a tudo para a conquistar, Jack parte numa peregrinação sentimental até à Andaluzia, a terra natal da sua amada, onde encontrará as delícias do amor... e a sua crueldade.
Um conto de fadas para adultos, ao estilo de Tim Burton ou Lewis Carroll."

Opinião:

Ah, o amor... Esse sentimento que dizem tão nobre e que inspira tantos com a sua complexidade. Este é mais uma dessas obras inspiradas nos truques, nos reveses, nos sonhos e esperanças causadas pelo amor.

Jack tem um relógio no coração. Porque nasceu no dia mais frio do mundo, com o coração congelado, e que precisa das engrenagens de um relógio para continuar a funcionar. Madeleine, que acaba por ser uma mãe para Jack, avisa-o de que sentimentos fortes lhe estão proibidos, como o amor e a cólera. Assim, Jack nunca se poderá apaixonar, para não estragar as engrenagens do coração.
Mas, como já se espera, nada corre como planeado e Jack apaixona-se por uma cantora, Miss Acácia, experimentando todos os sentimentos e consequências que daí advém para, finalmente, saber a verdade sobre o seu coração, sobre o amor arrebatador que ele tem pela "pequena cantora" e, eventualmente, sobre o amor que os outros têm por ele.

No fundo, este livro fala-nos das pequenas diferenças que todos temos. Das peculiaridades que fazem parte de nós e que nos tornam em quem nós somos. Da dificuldade de, por vezes, as aceitarmos e de fazer com que os outros nos aceitem também.
Fala-nos do amor, da paixão assolapada dos primeiros tempos, da prova que é tentar conservar esse amor perante os obstáculos, dos desgostos e sofrimentos a que ninguém está imune.

Este é um livro belíssimo, com descrições que me fazem lembrar os filmes do Tim Burton (que eu adoro!), com passagens poéticas que nos fazem pensar, com personagens que cativam e que sugerem grande empatia. Um pequeno livro com mensagem que, apesar de ter potencial para um desenvolvimento maior, nos deixa como que embalados depois de o fecharmos.

Ainda de realçar a capa deste livro que tem uma ilustração fantástica. Se quiserem saber mais sobre o autor da capa, Benjamin Lacombe, podem ir ao seu site que contém uma galeria com desenhos muito bonitos: http://www.benjaminlacombe.com/

5/6 - Muito Bom

4 comentários:

Jojo disse...

Adorei, adorei este pequeno livrinho!
A minha capa é que não é tão bonita!

Elphaba J. disse...

Eu quero imenso este livro!

Estou ansiosa para o ler e depois do teu comentário mais ainda, parece realmente lindo :)

tonsdeazul disse...

Um livro bem agradável de se ler. Gostei também de descobrir a faceta de músico do autor. Tem músicas bem bonitas!
A minha capa é a anterior, com um violinista, mas considero esta mais maravilhosa e também mais enquadrada com a história.

bequinhapm disse...

eu cvomprei esse livro mas com outra capa mas agora vou tentar comprar o mesmo livro mas com essa capa que e mais bonita e da mais sentido a outra nao faz sentido nenhum mas ainda so estou no inicio e ja estou a adorar!!!!!!!!!!!!!!