7 de outubro de 2010

Mário Lúcio Sousa recebe Prémio Carlos de Oliveira

O escritor cabo-verdiano Mário Lúcio Sousa vai receber no próximo sábado, dia 10, às 21h45, na Biblioteca Municipal de Cantanhede, o Prémio Carlos de Oliveira, atribuído ao livro O Novíssimo Testamento, que acaba de ser editado pelas Publicações Dom Quixote.

Esta é a segunda edição do Prémio Carlos de Oliveira, instituído pela Câmara Municipal de Cantanhede, que pretende estimular a criação literária e, simultaneamente, homenagear quem, de algum modo, se distinga no campo da literatura lusófona. A concurso, recorde-se, estiveram 67 obras, mas o júri não hesitou e, no momento da decisão, optou por atribuir o galardão a O Novíssimo Testamento, justificando a escolha do seguinte modo: "Mário Lúcio Sousa retoma, com este livro, as escrituras sagradas, reinventando-as através do recurso a um contrafactual herdado da teologia medieval, colocando a hipótese de Jesus ter sido mulher e explorando as vastas implicações e consequências dessa hipótese."

Sobre o autor:

Mário Lúcio Sousa nasceu no Tarrafal, Ilha de Santiago, Cabo Verde, em 21 de Outubro de 1964. Licenciado em Direito pela Universidade de Havana, Cuba, foi deputado do Parlamento Cabo-Verdiano entre 1996 e 2001. Actualmente, é embaixador cultural de Cabo Verde.

Condecorado pelo Presidente da República do seu país em 2006 com a Ordem do Vulcão, ao lado de Cesária Évora, foi o artista mais jovem de sempre a receber tal distinção. Na música, foi fundador e líder do grupo Simentera. É compositor, multi-instrumentalista e estudioso da música tradicional.

Já gravou com Manu Dibango, Touré Kunda, Paulinho da Viola, Maria João e Mário Laginha, Gilberto Gil, Luís Represas, Milton Nascimento, Pablo Milanés, Harry Belafonte, Toumani Diabate, Mario Canonge, Ralph Tamar, Pedro Jóia, Teresa Salgueiro, entre outros.

Como escritor, é autor das seguintes obras: Nascimento de Um Mundo (poesia, 1990), Sob o Signo da Luz (poesia, 1992), Para Nunca Mais Falarmos de Amor (poesia, 1999), Os Trinta Dias do Homem Mais Pobre do Mundo (ficção, 2000) - Prémio do Fundo Bibliográfico da Língua Portuguesa, Vidas Paralelas (ficção, 2003), Saloon (Teatro, 2004) e Teatro (colectânea, 2008).

Sem comentários: