14 de abril de 2011

Booking Through Thursday - Personalidade

Ainda relacionado com a pergunta da semana passada:

Li, no outro dia, uma frase do JFK Jr., que disse que a sua mãe morreu cercada da família, dos amigos e dos seus livros. Aparentemente, os livros de Jackie eram parte dela, da sua personalidade, de si mesma.
Até recentemente, as pessoas podiam ver as nossas estantes e aprender mais sobre nós - quais são os nossos interesses, o leque de temas, autores preferidos, o quanto lemos (ou pelo menos o quanto compramos livros).
No entanto isto está a mudar. As pessoas já não compram tantos livros, preferindo os empréstimos das bibliotecas, ou lê-los nos leitores electrónicos ou computadores. Não há nada FÍSICO nas prateleiras para comunicar aos estranhos em nossa casa, para o bem ou para o mal, quem nós somos.
Achas isso uma coisa boa? Má? Discutam!

Bom, primeiro devo dizer que as minhas estantes estão cheias até mais não. Contudo, também nunca as tivemos com o propósito somente de mostrar que temos livros em casa. Tudo, cá em casa, é aproveitado ao máximo para arrumação. Pessoalmente, gosto de ver estantes cheias, seja com livros, com álbuns de fotografias, com lembranças de sítios onde estivemos, ou de pessoas que nos sejam queridas, coisas que mostrem um pouco de nós. Mas acho que estantes para pôr bibelots, são desperdício de espaço. Conhecço pessoas que têm em suas casas estantes que têm essa função decorativa, e que não são propriamente usadas para nada, mas acho que uma estante tem que ter uma função utilitária.

Quanto ao facto de se ver cada vez mais estantes vazias, não sei se isso é verdade. Penso que alguém verdadeiramente apaixonado por livros, acaba sempre por arranjar uns trocos para comprar aquele livro que está em promoção, ou até porque tem alguém que os ofereça. É verdade que, com esta crise, se tenha apostado mais em empréstimos de bibliotecas. Eu própria acho que já trouxe mais livros da biblioteca nestes quatro meses, do que o ano passado inteiro. Mas as minhas estantes continuam com livros empilhados! Além disso, com a aproximação da escrita da tese, vou de certeza ter que comprar livros para a investigação, até porque é numa área não muito explorada por cá.

Concluindo, para mim, a estante tem que ter uma função utilitária. Gosto de as ver recheadas de livros e descobrir que títulos por ali andam e saber um pouco mais dos gostos da pessoa que possui essa estante. Gera-se logo ali uma troca de ideias, partilha de opiniões, "olha, gostava de ler este, emprestas-me?" (esta parte agrada-me bastante!), para além de saber bem que encontrámos mais um desta espécie rara de pessoas que gostam de ler.

1 comentário:

Ana C. Nunes disse...

Acho que todos os amantes de livros sofrem de falta de espaço nas estantes. :)