23 de maio de 2013

The Return of the King - Opinião


Título: The Return of the King (The Lord of the Rings, #3)
Autor: J. R. R. Tolkien
Editora: Harper Collins
Páginas: 554
Sinopse:
"The armies of the Dark Lord are massing as his evil shadow spreads even wider. Men, Dwarves, Elves and Ents unite forces to do battle against the Dark. Meanwhile, Frodo and Sam struggle further into Mordor in their heroic quest to destroy the One Ring.

The devastating conclusion of J.R.R. Tolkien's classic tale, begun in the The Fellowship of the Rings and The Two Towers."

Opinião:

E com este livro finda a saga The Lord of the Rings, de J. R. R. Tolkien. Acho que é a primeira saga que começo e acabo no mesmo ano. Tenho aqui algumas que só me falta ler o último livro e ainda não lhes peguei... Por isso, já é um motivo de orgulho ter lido esta trilogia em menos de um semestre! Bom, mas vamos ao que interessa.

Em The Return of the King, Tolkien narra-nos o episódio final da saga de Frodo e seus companheiros na luta contra o poder negro de Sauron. Este é um livro de acção, de batalhas, de decisões importantes e finais que podem mudar o futuro da Terra Média para sempre, para o bem ou para o mal. Frodo e Sam encontram-se em Mordor, com o intuito de destruir o anel. Mordor é uma terra estéril, desolada, o fardo do Anel é cada vez mais pesado, as paisagens cada vez mais negras, e cada dia que passa é uma luta interior e exterior por parte de Sam e Frodo para atingirem o objectivo final: a destruição do Anel em Orodruin, o Monte da Perdição.

Por outro lado, em Gondor trava-se uma batalha brutal entre as forças de Sauron, constituidas por Orcs, Nazgûl e o tão famoso Witch-King, e as forças dos homens de Gondor, de Rohan, Elfos, todos os que se opõem às forças maléficas de Sauron. Penso que este é o momento mais épico de sempre, uma vez que os livros anteriores nos prepararam para esta batalha estrondosa, elevando a tensão no leitor, e porque todos se reúnem aqui para, de uma vez por todas, acabar com Sauron. Adorei todo o cenário de Gondor e do seu cerco, porque estamos ali agarrados às páginas para saber o que vai acontecer a seguir, quando é que começa a batalha, quem é que morre, quem mata quem, quem aparece para salvar aquela gente toda... Este é capaz de ser o livro mais empolgante porque tem bastante acção e é a conclusão de toda a demanda que começa no primeiro livro.

Mais uma vez, adorei todo este livro. A batalha em Gondor, o percurso atribulado e negro de Sam e Frodo,  Gondor e a sua gente, as relações entre as personagens, os valores da amizade, lealdade, a coragem que parece surgir até em quem menos se espera, tudo! Acho que não houve nada que eu não gostasse. E depois o final do livro é maravilhoso. À medida que se faz o percurso inverso, de sul para norte, e que as personagens se vão despedindo umas das outras, não pude deixar de ler essas passagens meio emocionada e o momento final entre Frodo e Sam é de partir o coração. Sam é das melhores personagens deste livro, por toda a lealdade, coragem, compaixão e amizade que demonstra para com Frodo. Adorei-o. E, claro está, Aragorn e Gandalf são outras das minhas personagens preferidas. Penso que outra coisa importante neste livro, é que todos, mas TODOS assumem o seu verdadeiro potencial e se tornam naquilo que deveriam ser.

Este livro contém, no final, os apêndices escritos por Tolkien, contando parte da história da Terra Média, dos reis, das várias raças, entre outras coisas bastante interessantes, mas, confesso, que não os li. Minto: li somente um, o que conta a história de Aragorn e Arwen que é triste, mas belíssima. Penso que tudo o que rodeia os elfos é belo, delicado, mas ao mesmo tempo forte e sábio e é por isso que os elfos são a minha raça preferida. De todos eles, destaco Galadriel, que nunca me saiu da cabeça.

Adorei toda esta saga, encheu-me completamente as medidas e penso que a irei reler, daqui a uns tempos, porque acho impossível reter todos os significados, todos os detalhes numa só leitura. É uma trilogia emocionante, intensa, com uma prosa magnífica, cheia de lugares que nos parecem tão reais, e cheia de personagens que nos ficam na memória e que, tenho a certeza, me acompanharão sempre, daqui para a frente.

6/6 - Excelente

(Esta leitura conta para o desafio Mount TBR Reading Challenge 2013)

4 comentários:

Célia disse...

Fico mesmo contente que tenhas gostado da leitura :)
Como sabes, reli o livro há pouco tempo e voltei a adorar. O único espinho neste amor todo é o capítulo "The Scouring of the Shire". Eu sei que o autor o escreveu propositadamente, sei que tem significado e importância, mas bolas, leio-o sempre com vontade que termine depressa :P

Diana Marques disse...

Sim, eu percebo. Ficamos ali um bocado em suspenso para o último capítulo e já não queremos saber de mais nada a não ser de coisas fofinhas e nada de lutas! :)

André Nóbrega disse...

Olhem, já eu gosto bastante desse capítulo, é uma "facada" mas que insere uma brutalidade no final da história que no fundo liga a fantasia e a realidade.

De resto, fico mesmo contente que tenhas gostado, como fico sempre quando alguém gosta do Senhor dos Anéis :D E olha que não perdias nada em ler mais dos apêndices, nem que seja um ou outro texto por semana, de vez em quando. Para quem achou o mundo de Tolkien uma criação genial, aquilo é tipo sobremesa!

Diana Marques disse...

Mas eu pretendo ler os apêndices! Esqueci-me de referir isso na minha opinião... Eu quero ler os apêndices, mas agora estou concentrada noutras coisas para além das leituras, e quis guardá-los para uma altura em que lhes consiga dedicar toda a minha atenção, sem estar a ler à pressa :)