13 de agosto de 2014

The Giver - Opinião

Título: The Giver (The Giver #1)
Autor: Lois Lowry
Lido no Kobo
Sinopse:
"Jonas' world is perfect. Everything is under control. There is no war or fear or pain. There are no choices. Every person is assigned a role in the Community. When Jonas turns twelve, he is singled out to receive special training from The Giver. The Giver alone holds the memories of the true pain and pleasure of life. Now, it is time for Jonas to receive the truth. There is no turning back."

Opinião:

Li este livro por duas razões: como leitura conjunta para o Só Ler Não Basta deste mês, e porque vai estrear a adaptação para o cinema no dia 21. Como vi o trailer e pareceu-me interessante, decidi ler o livro também.

The Giver passa-se numa realidade distópica e conta-nos a história de Jonas, um rapaz de onze anos que espera ansiosamente pelo seu décimo segundo aniversário - data em que acontece a Cerimónia e as crianças daquela idade ficam a saber quais serão os seus futuros empregos. Nesta sociedade todos têm o seu lugar definido na comunidade, não há doenças, nem guerras, não há privacidade, não há sentimentos e todos têm que obedecer a um conjunto muito bem definido de regras para que todos vivam em harmonia. Todos obedecem, não há desvios, não há questões, não há espaço para a diferença nem para a escolha. Porém, Jonas recebe uma missão muito especial no dia da Cerimónia: o de Receptor de Memórias, e é quando ele conhece o The Giver, ou o Dador de Memórias - um homem mais velho que detém todas as memórias do mundo como ele fora há muito, muito tempo. E é a partir daqui que Jonas começa a questionar a sociedade em que vive. o modo em que todos se inserem nela, o que poderá ter vindo antes, e o que poderá estar fora dela.

De forma geral gostei do livro. Mas achei que, no fim, faltou-lhe qualquer coisa. Falha em explicar algumas coisas que acrescentariam conteúdo à história e que nos ajudariam a perceber o porquê daquela realidade. Além disso, o fim fica em suspenso e fiquei com a sensação de que faltou muito por contar e que podia ter sido um livro melhor se o fim não ficasse em aberto. Eu sei que este livro é só o primeiro de quatro mas, pelo que percebi, só se fica a saber o que aconteceu a Jonas no último livro, Messenger. O fim é ambíguo, deixa tudo em aberto e sinto que ficou muito por dizer.

Ainda assim, considerei um livro bom, que se lê num instante e que está bem escrito. Penso que poderá agradar aos mais novos, uma vez que, apesar de ser uma distopia, o mundo não é muito complexo e está bem retratado. Em relação ao filme, pelo que vi no trailer, cheira-me que vai ser bastante diferente.

4/6 - Bom

(Esta leitura conta para os desafios TBR Pile Reading Challenge e para o Monthly Montif Challenge)

Sem comentários: