10 de abril de 2015

Reading Slump


(imagem vista aqui)

Pois é... Isto toca a todos, de tempos a tempos. E a mim veio-me bater à porta agora. A verdade é que desde que comecei o doutoramento o meu ritmo de leitura baixou imenso. Comecei a ler mais lentamente, um livro que me demorava uma semana a ler agora demora 20 dias. Às vezes começo a ler um livro com o qual estou super entusiasmada, mas com as leituras que faço para a faculdade o meu humor muda e a vontade de ler esvanece ou altera-se: num dia pode apetecer-me ler um romance, para três dias depois ter uma vontade enorme de ler fantasia. E escrevo-vos porque penso que vou partir para mais uma desistência.

Estava a ler o North and South, da Elizabeth Gaskel desde o fim de Março. Apetecia-me mesmo ler um livro do século XIX, daquele estilo. Agarrei nele e passado uns dias começou a aborrecer-me, porque já não me apetecia ler nada daquilo. Mas fui insistindo porque tinha boas recomendações e porque podia ser uma coisa passageira, aquele mau feitio. Mas às tantas não me estava a identificar com as personagens, chateava-me o enquadramento social, enfim. Estava a fazer um esforço para pegar no Kobo e lê-lo. Acabei por desistir e partir para o Galveias, do José Luís Peixoto, incentivada pelo último Só Ler Não Basta e porque o Peixoto é um dos meus autores favoritos. Apostar em autores favoritos é sempre bom. Li vinte páginas e já estou com vontade de desistir. Simplesmente porque não me apetece ler aquilo. Não estou para ali virada. Somente isto.

Mas também não sei bem o que é que me apetece ler. Pensei em voltar à trilogia Mistborn, do Brandon Sanderson, que tanto adorei o primeiro volume. Mas não tenho a certeza se será o momento porque o livro é grande e eu não sei se me apetece pegar num calhamaço. Pensei em reler o Clash of Kings, do George R. R. Martin. Mas se receio pegar no do Sanderson, que deve ter umas 600 páginas, quanto mais no Martin que anda perto das 900, mesmo sendo uma releitura. Pensei também nos Bridgertons, da Julia Quinn, que é sempre uma leitura de conforto. Mas depois penso outra vez e já não me apetece. Por isso, acho que estou numa fase em que se calhar é melhor ficar quieta até encontrar algo que me desperte a atenção e a vontade de ler.

A verdade é que passo os dias a ler para a tese ou para trabalhos que tenho de fazer, e a minha cabeça, os meus pensamentos, giram à volta desses trabalhos ou de um determinado tema e às vezes não me consigo desligar disso. Estou a fazer um trabalho sobre o filme Rebecca, do Alfred Hitchcock, e a minha mente só consegue pensar nisso, naquele ambiente, naquelas temáticas, no rumo que estou a dar ao meu trabalho. Por isso, às vezes não me consigo abstrair o suficiente para mergulhar num livro de ficção, mesmo que queira muito. A minha cabeça parece só ter espaço para os livros que tenho de ler, e os livros que quero ler acabam por ficar para trás. Depois olho para a minha lista de livros para ler e, por vezes, fico tão assoberbada com a quantidade e a variedade de coisas, que ainda me sinto mais perdida! E acabo por passar horas em frente ao computador a ver vídeos no youtube, ou séries, ou coisa que o valha. O cérebro parece abstrair-se melhor.

Por isso é neste estado de espírito que vos escrevo, caríssimos leitores. Como alguém que quer ler mas não consegue, qual Virginia Woolf do século XXI. Mas descansem que não vou pôr pedras no bolsos e meter-me num rio. Vou esperar que isto passe, que a vontade volte, porque afinal isto é só uma fase. Quanto tempo vai durar? Não sei. Mas não vale a pena pensar nisso, porque não me vou pressionar a ler. Por isso, desejem-me sorte e, já agora, deixem recomendações nos comentários! Como fazem para ultrapassar estas fases? Que livros vos ajudaram a sair destes "reading slumps" e que recomendam?

4 comentários:

Célia disse...

Que pena o North and South... mas compreendo-te. Foi melhor teres desistido se não te estava a cativar, talvez noutra altura :)

Ultimamente não tenho tido grandes readings slumps, e de qualquer modo penso que não há grandes conselhos para dar além de esperar, porque somos todos leitores diferentes.

Quanto a sugestões, já pensaste ler um livro de contos ou de crónicas? Coisas mais curtas que não te obriguem a ficar focada durante muito tempo? Ou BD?

Diana Marques disse...

É que não me anda a apetecer ler mesmo nada, o meu cérebro não se consegue concentrar. Passo pelos livros, penso "quero tanto ler isto!", mas depois começo a ler e perco o interesse. Acho que é mesmo uma altura má para ler, porque a minha mente está tão focada noutras coisas que depois chego aos livros e nºao me consigo concentrar.

Quanto às sugestões, não me costumo dar muito bem com contos, porque os acho sempre pequenos (no shit, Sherlock!) e não desenvolvem muito. Mas é capaz de ser boa ideia, tenho ali os do Poe, já li alguns e gosto muito do estilo dele, posso tentar :)

WhiteLady3 disse...

Sendo que estás a fazer um trabalho sobre o Rebeca... Há um livro do Ken Follett, Chave para Rebeca, que penso estar ligado ao livro. Salvo erro é um thriller, pelo que até pode ser interessante e ajudar a ganhar algum ritmo.

Também podes tentar ler coisas com bonecos! Como o Habibi!

Diana Marques disse...

Mas o meu trabalho é sobre o filme, não o livro. Quando estou a escrever sobre uma coisa, não gosto de ler adaptações ou re-tellings ou assim. Quando estive a escrever a tese também me mantive afastada das brumas e coisas do género, para não ser influenciada.

Entretanto trouxe da biblioteca o "Adoecer", da Hélia Correia. Vou experimentando livros até chegar a um que faça o clique :P