14 de dezembro de 2009

Peter Pan - Opinião


Comecei a ler este livro cheia de expectativa, depois de aconselhada por uma professora de literatura inglesa. Sabia mais ou menos a história do Peter Pan, pelos desenhos animados da Disney, mas claro que ler a sua história original é sempre diferente.

Começamos então com uma pequena introdução sobre o mundo da família Darling, dos seus três filhos Wendy, John e Michael e da ama: a cadela Nana. Como todas as crianças Wendy e os seus irmãos acreditam em fadas e no mundo de fantasia que é o de Peter Pan. Vêm-no em sonhos, por vezes ouvem a sua voz, mas nunca estiveram com ele. Até que uma noite, as luzes apagam-se e Peter Pan entra no quarto dos irmãos para buscar a sombra que Nana tinha apanhado uma vez. A partir daí todas as aventuras se desencadeiam: o saber voar, o caminho para a Terra do Nunca, as fantásticas figuras que descobrem lá, como sereias e fadas e, claro, as peripécias junto dos Lost Boys frente ao Capitão Hook e os seus piratas.
Wendy, sendo a única figura feminina na Terra do Nunca é alvo de alguns ataques de ciúme por parte de Tinker Bell, a fada que sempre acompanhava Peter, e torna-se mãe de todos os rapazes da ilha.
Peter Pan é um rapaz que tem a memória curta, só ouve o que lhe interessa e bastante arrogante e convencido. Tem um ego enorme e acha-se capaz das maiores proezas, arriscando-se demasiado e pondo, inclusive, a vida dos outros em risco em prol dessa grandeza. Contudo Peter é uma criança que nunca teve regras nem imposições, não teve pais que lhe dissessem o que está certo e o que está errado; o que é bom e o que é mau; todos os conhecimentos e educação básica que todas as crianças obtêm nos primeiros anos de vida, Peter não os recebeu. E, por isso, não é totalmente responsável pelas suas acções, já que nunca ninguém o contrariou nem nunca lhe impuseram regras.
Peter Pan abomina as figuras adultas, de autoridade que, para ele, obrigam as crianças a crescer e a esquecerem-se daquele mundo, dele, das sereias, das fadas. Adorei a explicação de J. M. Barrie para o nascimento das fadas! Para mim, no fundo, Peter representa aqueles que, apesar de terem crescido, não deixaram de acreditar na sua imaginação, no poder de nos refugiarmos no nosso mundo que tem tudo aquilo que queremos que ele tenha. São as chamadas "crianças dentro de nós". A inocência que é preservada que nos deixa ver para lá do "mundo real" e nos deixa acreditar na nossa imaginação que, no final de contas, para nós é real.

Eu adorei este livro, do início ao fim. Gostei da narrativa, de como o narrador interage com o leitor com as suas perguntas retóricas e com observações dirigidas mesmo para nós, como se ambos estivéssemos a observar a acção à medida que ela acontecia. Além disso, todo o mundo criado e descrito por Barrie é fantástico. Aconselho, vivamente, a todos lerem este livro!

Ainda a título de curiosidade, fica aqui o site onde podem tirar mais informações sobre a inspiração para a história da criação da personagem e história de Peter Pan.
Há ainda o filme com a Kate Winslet e o Johnny Depp, À Procura da Terra do Nunca (Finding Neverland) que retrata precisamente o processo de desenvolvimento do Peter Pan e onde Barrie foi buscar inspiração... É um filme lindíssimo.

4 comentários:

Bia disse...

Ai que lindo!
Gosto muito de ler esses "contos-de-fadas", mas os livros originais mesmo.
Além de Peter Pan quero muito ler Alice no País das Maravilhas. Deve ser mesmo muito doidinho como no desenho!

Bjs

Jacqueline' disse...

Acho que é uma óptima ideia ler os livros originais! Foi com essa ideia que comprei na fnac os contos de fadas do Hans Christian Andersen, tambem dos classicos da penguin. Espero ficar com a mesma ideia quando o acabar... Excelente sugestão da tua professora, fiquei com vontade de o ler :)

Ana Maria disse...

Eu também li por recomendação de uma professora de literatura inglesa. Depois de assistir ao filme "Em Busca da Terra do Nunca", que mostra de onde vem a inspiração, passei a gostar ainda mais do Peter Pan.

Mariane disse...

Ainda não tinha ouvido falar sobre esse livro, mas o filme que citou já assisti, realmente é lindoo!!!

Bjuuuuu...