10 de março de 2010

Novidades Quetzal para Março

Para este mês são quatro as novidades da Quetzal, onde se pode rever José Luís Peixoto, Susan Sontag e ficar a conhecer Lourenço Mutarelli.

Título: Nenhum Olhar
Autor: José Luís Peixoto
Sinopse:
"Numa aldeia do Alentejo, com um pano de fundo de uma severa pobreza, o autor vai tecendo histórias de homens e mulheres, endurecidos pela fome e pelo trabalho, de amor, ciúme e violência: o pastor taciturno que vê o seu mundo desmoronar-se quando o diabo lhe conta que a mulher o engana; o velho e sábio Gabriel, confidente e conselheiro; os gémeos siameses Elias e Moisés, cuja terna comunhão se degrada no momento em que um deles se apaixona; ou o próprio Diabo. As suas personagens são universais, assim como a sua esperança face à dificuldade."

Título: A Doença como Metáfora - A Sida e as suas Metáforas
Autor: Susan Sontag
Sinopse:
"Em 1978, quando convalescia de cancro, Susan Sontag escreveu A Doença como Metáfora, um notável ensaio sobre a utilização alegórica, e frequentemente culpabilizante, da doença na nossa cultura. Tornou-se num clássico que a revista Newsweek considerou «Um dos livros mais libertadores do seu tempo». O objectivo da autora consiste em retirar ao cancro o estigma alegórico que sobre ele pesa e mostrar que é apenas uma doença. Neste livro, Susan Sontag defende que a maneira mais autêntica de enfrentar a doença - e a maneira mais saudável de estar doente - é resistir a esse pensamento metafórico."

Título: A Arte de Produzir Efeito sem Causa
Autor: Laurenço Mutarelli
Sinopse:
"Depois de abandonar o emprego e o casamento por motivos que guardam uma infeliz coincidência, Júnior pede abrigo ao pai. Sem dinheiro nem perspectivas, divide os dias entre o velho sofá da sala, o bar onde bebe com desocupados e as conversas com a jovem inquilina da casa, Bruna, que o pai espia por um furo no armário.
Num cenário típico de uma classe-média baixa, Júnior entrega-se a um quotidiano feito de objectivos pequenos e imediatos — a próxima refeição, a ida ao bar da esquina, o dinheiro do cigarro. Mas esta pasmaceira é interrompida quando pacotes misteriosos começam a chegar pelo correio. Lentamente, a realidade ganha contornos distorcidos e Júnior vai sendo arrastado para um na própria consciência — que revelará os seus limites e abismos."

Título: O Livro dos Prazeres Inúteis
Autor: Tom Hodgkinson e Dan Kieran
Sinopse:
"«O propósito deste livro é mostrar que as melhores coisas da vida não custam dinheiro. Durante dois séculos, o Ocidente laborou no equívoco de que o prazer é um assunto caro. Passamos a vida a trabalhar no duro e a fazer coisas de que não gostamos para ganhar dinheiro e com ele fazermos coisas de que gostamos. Pois o que este livro faz é libertar-nos das confusões e desapontamentos dispendiosos.»
Os Prazeres (alguns, entre muitos outros): Tomar banho
Sonhar
Apanhar folhas das árvores no ar
Deambular pela cidade
Fumar
Dormir uma sesta
Raios de Sol
Espetar fósforos em vegetais para fazer vegetais alienígenas
A contemplação de coisas que voam
O sexo matinal
Observar nuvens."

Fonte: Diário Digital

3 comentários:

tonsdeazul disse...

Estas capas da Quetzal estão muito agradáveis aos olhos! :)

A nova reedição do livro "Nenhum Olhar" ficou com uma capa muito mais bonita do que a que eu tenho cá em casa! Este livro tem uma história com personagens sofridos, mas o toque a poesia deixa tudo com mais leveza! Adoro a escrita deste autor. O meu preferido é mesmo "Uma Casa na Escuridão"!

Diana disse...

Também gosto mais desta capa do livro "Nenhum Olhar". Gostei imenso da história mas, tal como tu, o meu preferido também é "Uma Casa na Escuridão".
Na altura li-o por empréstimo, mas estou a pensar em comprá-lo para voltar a lê-lo.

tonsdeazul disse...

Eu costumo relê-lo várias vezes, pois tem passagens lindíssimas e deve ser dos poucos livros que realmente pego para isso mesmo: relê-lo! :)