4 de junho de 2010

A Herança de Eszter - Opinião

Título: A Herança de Eszter
Autor: Sándor Márai
Editora: Biblioteca Sábado
Páginas: 180
Sinopse:
"Instalada na casa que herdou do seu pai e com a única companhia de uma parente idosa, Eszter é uma mulher solteira que vive com a placidez de quem conseguiu adaptar-se ao que a vida lhe ofereceu. Até que um dia recebe um telegrama de Lajos, um velho amigo da família, anunciando a sua iminente visita. Um canalha encantador e sem escrúpulos, dotado de um poder de sedução irresistível, Lajos não só traiu o amor de Eszter, mas também destruiu a sua família e roubou tudo o que possuíam, excepto a casa em que vivem e o jardim com que subsistem. Eszter prepara-se então para o receber, comovida por um turbilhão de sentimentos contraditórios."

Opinião:

Escrito na primeira pessoa, assistimos a todos os eventos narrados pela mão de Eszter. Assistimos ao dia da chegada de Lajos, às memórias que ela tem dele e aos sentimentos contraditórios que Eszter não consegue evitar sentir.
Somos levados a vários momentos anteriores da vida de Eszter e a este dia que todos tão ansiosamente esperam. Depois de discursos treinados, de assuntos e promessas que seriam cobradas, nada acontece como era suposto. Todos parecem seduzidos por Lajos, mesmo depois de todas as trafulhices que ele lhes fizera, de todas as mentiras que lhes contara.
Eszter, também ela, se deixa seduzir. Mas, no fundo, ela amara-o e por mais que soubesse quais as intenções verdadeiras de Lajos, mesmo sabendo das mentiras, Eszter não pôde evitar deixar-se levar.

Este livro é de leitura fácil, leve e rápida. Tem uma escrita simples mas que revela a complexidade dos sentimentos, dos acontecimentos, das consequências das acções de cada um. Confesso que a personagem de Lajos me deu uma certa raiva por ser tão aproveitador e tão mentiroso. Mas, como alguém diz a certa altura no livro, Lajos é um poeta e não tem noção daquilo que faz. Se bem que, para mim, isso não é desculpa para nada...
Eszter, porém, tenta fazer-se de forte, tenta resistir e confrontá-lo com todas as suas mentiras e com todas as desilusões que lhe causou mas, por fim, cede a ele. Não sei dizer se Eszter é fraca. Penso que é apenas uma mulher que não deixou de amar um homem mesmo passados vinte anos. Tal como a sua vida, este amor foi guardado, adormecido e depois despertado.
Gostei deste livro, mas não achei nada de espectacular.

4/6 - Bom

Sem comentários: