30 de setembro de 2010

Civilização publica "Heresia", primeiro romance da trilogia de S. J. Parris

Considerado pelo The Guardian “um thriller histórico evocativo de uma época e bem escrito”, o novo livro de S.J. Parris recria – de forma ficcionada – a vida do monge e filósofo italiano, Bruno Giordano, um homem acusado de heresia pela Inquisição por defender teorias tão revolucionárias como a heliocêntrica de Copérnico. Segundo a autora de Heresy, o ter andado sempre em viagem, o facto de ser “um fugitivo sem paradeiro certo”, transformou-o “numa figura próxima das principais cortes da Europa”.
Bruno Giordano é uma “personagem fascinante, alguém com uma vida que conduz perfeitamente à ficção” sobre a qual Parris pretendia escrever desde os tempos de estudante, quando descobriu esta figura histórica. Para a escritora, a publicação deste “romance de homicídios misteriosos, como um quebra-cabeças, um policial” sobre uma figura perseguida – e, ao mesmo tempo, Iluminada – teve também por objectivo levar os leitores a interessarem-se por este período conturbado.
Heresia é o primeiro livro de uma trilogia sobre as aventuras empolgantes do místico e herético Bruno Giordano.

Título: Heresia
Autor: S. J. Parris
Família: Literatura
Sub-família: Histórica
Páginas: 448
Sinopse:
"A estreia do monge Giordano Bruno, mágico, cientista e herege, numa nova série de thrillers históricos para fãs de C. J. Sansom e da Inglaterra da época de O Nome da Rosa.
Inglaterra, 1583. Um país inundado pela paranóia e pela conspiração, mas um porto de abrigo para um monge radical em fuga. Giordano Bruno, com as suas teorias de astronomia, fugiu da Inquisição para a corte de Isabel I. Ali, atrai as atenções de Francis Walsingham, chefe dos espiões e inimigo dos conspiradores católicos. Bruno é infiltrado na Universidade de Oxford, que se crê ser um antro de dissidentes franceses. Rapidamente Bruno dá por si envolvido nas intrigas do colégio universitário e distraído por uma bela jovem. Pouco depois, começa a investigar uma série de assassinatos horríveis, relacionados entre si por cartas com pistas. As cartas sugerem que as vítimas eram culpadas de heresia. Mas estará Bruno a ser ajudado ou induzido em erro, ou será ele o próximo alvo? Perseguindo um assassino astuto e determinado pelos claustros sombrios de Oxford, Bruno apercebe-se de que nem sempre os sábios conseguem distinguir a verdade da heresia. Mas alguns estão prontos a matar por ela!"

Sem comentários: