15 de março de 2011

"Ervamoira", de Suzanne Chantal é editado pela Civilização

A apaixonante história dos Castro Avilez entrelaça-se com a história do Vinho do Porto e de Portugal. Durante um século e meio (de 1809 a 1967), a saga da família atravessa as trágicas invasões napoleónicas e o desastre da Ponte das Barcas, passando pelo faustoso ambiente da corte francesa e por um baile real no Palácio da Bolsa, no Porto. Editado pela primeira vez em Portugal, Ervamoira foi escrito por Suzanne Chantal, jornalista e romancista três vezes galardoada pela Academia Francesa.
Suzanne Chantal viveu em Portugal onde trabalhou como correspondente e escreveu vários livros sobre o país, de romances e estudos de história a guias e livros de viagem. Em França, foi jornalista, crítica de cinema e trabalhou num semanário de referência na época para Gaston Gallimard, fundador das Éditions Gallimard.

Título: Ervamoira
Autor: Suzanne Chantal
Páginas: 640
Sinopse:
"A apaixonante história dos Castro Avilez entrelaça-se com a história do Vinho do Porto e de Portugal. Durante um século e meio (de 1809 a 1967), a saga da família atravessa as trágicas invasões napoleónicas e o desastre da Ponte das Barcas, passando pelo faustoso ambiente da corte francesa e por um baile real no Palácio da Bolsa, no Porto. No coração do Douro, entre os áridos socalcos e os rabelos pesados de vinho, Leonardo de Castro, o patriarca da família, um humilde secretário de um negociante de vinhos, transforma-se num empresário da indústria vinhateira, travando conhecimento com o influente Barão de Forrester. De Leonardo de Castro a Nathalie, que vem conhecer o Porto em 1966, seguimos, de geração em geração, a vida e o desenvolvimento da família com os seus sucessos, dramas, alegrias, celebrações e destinos.
Suzanne Chantal sabe cativar-nos com os seus heróis, fazendo-nos penetrar no ambiente e no cenário onde eles vivem, em particular em Ervamoira, uma propriedade no Alto Douro, região consagrada à cultura da vinha. A autora tece a ficção e a realidade para construir um romance e uma família que sentimos como nossos até à última linha, até à última palavra..."

Sem comentários: