10 de abril de 2011

Jane Eyre - Opinião

Título: Jane Eyre
Autor: Charlotte Brontë
Editora: Oxford University Press
Páginas: 488
Sinopse:
"Jane Eyre is a novel of passion - of anger, defiance, and of overwhelming desire. No novel, before or since, has caught so precisely the complex emotions of childhood, where feelings of powerlessness can mix with rage, and a bitter sense of injustice. From the early scenes, where Jane is locked in the red room and lears to defy her aunt, through the oppressive regime of Lowood School, we follow the turbulent swell of Jane's feelings. Her psychological struggles with Rochester, her Byronic employer, and St. John Rivers, her icy cousin, carry through the passionate contradictions of childhood."

Opinião:

Pela segunda vez li este livro e pela segunda vez me apaixonei por ele. Da primeira vez li-o num contexto diferente, já que estudei o romance na faculdade, para uma cadeira de literatura. Desta vez li-o simplesmente porque sim. Por isso, vou tentar não entrar em muitos detalhes académicos, já que não é disso que se trata esta opinião.
Contado na primeira pessoa, Jane Eyre relata-nos a vida dela mesma, desde a sua infância até à idade adulta. Jane nunca teve uma vida fácil, já que era pobre, sem família, mas também por causa do seu temperamento que, aliás, é considerado a causa de todas as dificuldades que lhe acontecem. Ela é "passionate", no sentido de ser impetuosa e apaixonada, porque defende tudo aquilo em que acredita, mesmo que isso signifique bater de frente com alguém numa posição social acima da dela.
O principal foco desta obra é a transformação e crescimento interior por que passa Jane, através das experiências que ela vive. De facto, a narrativa na primeira pessoa faz com que tenhamos acesso à mente e aos sentimentos de Jane, fazendo com que nos apeguemos à sua personagem. É, sem sombra de dúvida, a minha personagem preferida.
Depois temos Mr. Rochester, claro. Primeiro é o dono da casa onde Jane trabalha, Thornfield Hall. Rochester é o arquétipo perfeito do "byronic hero" (peço desculpa colocar o nome em inglês, mas não sei qual é a sua tradução para o português). Entre outras coisas, é um homem misterioso, arrogante, com estados de humor algo flutuantes, inteligente e culto, com um magnetismo tal que, mesmo não tendo a melhor das aparências, acaba por fazer Jane apaixonar-se por ele, assim como ele se apaixona por ela. Contudo, este romance não é um mar de rosas. Muito pelo contrário. Ao mesmo tempo que é avassalador e romântico, é conturbado e vai causar bastante sofrimento e ruína a ambos.
Outro factor que me agrada bastante na escrita de Charlotte Brontë é o facto de ela conseguir espelhar o estado emocional, interior de Jane ao ambiente circundante. Neste aspecto, a natureza é muito importante porque espelha os sentimentos de Jane e, por vezes, é premonitório do que vai acontecer a seguir. Além disso, em alturas de desespero, é na natureza que Jane procura refúgio, conforto. Deste modo, a natureza também contribui para dar um carácter mais dramático ao texto, assim como para preparar o estado de espírito do leitor para o que vai acontecer a seguir.
Como podem ver, se eu me ponho a escrever sobre Jane Eyre, nunca mais acabo! Para mim tem um sem número de coisas a mencionar, a analisar, com importância tal que não quero deixar nada de fora. Jane Eyre é um romance tão rico que tudo o que eu possa dizer aqui é pouco. Por isso, façam o favor de ler este livro!
Tem de tudo um pouco: romance, tragédia, crítica social, mistério, revela as complexidades das relações humanas e, até, a dificuldade de se ser uma mulher na época vitoriana. É um livro apaixonante, desde o seu enredo, à escrita de Charlotte Brontë, às personagens de Jane e Rochester que, mesmo tendo sido a segunda vez que li o livro, me fizeram emocionar como se eu própria estivesse envolvida nas suas vidas.

6/6 - Excelente

2 comentários:

Neptuno_avista disse...

Olá. É sem dúvida uma história apaixonante! E uma das minhas favoritas. Lembro-me de ler vezes sem conta um livro resumo da história, e assim que soube que a história verdadeira era muito maior, não hesitei em procurar o livro! não me desiludiu. Charlotte Bronte soube escrever um romance e tanto :) Beijinho

Lolita disse...

Comecei a ler no início da semana este livro, no fim de o ler venho aqui ler a sua opinião (até agora do que já li do livro estou encantada com a escrita).

Books Lovers

http://bookslovers.blogs.sapo.pt/