20 de abril de 2013

An Offer From a Gentleman - Opinião


Título: An Offer From a Gentleman (Bridgertons #3)
Autor: Julia Quinn
Lido no Kobo
Sinopse (do Goodreads):
"Sophie Beckett never dreamed she'd be able to sneak into Lady Bridgerton's famed masquerade ball -- or that "Prince Charming" would be waiting there for her! Though the daughter of an earl, Sophie has been relegated to the role of servant by her disdainful stepmother. But now, spinning in the strong arms of the debonair and devastatingly handsome Benedict Bridgerton, she feels like royalty. Alas, she knows all enchantments must end when the clock strikes midnight. 

Who was that extraordinary woman?

Ever since that magical night, a radiant vision in silver has blinded Benedict to the attractions of any other -- except, perhaps, this alluring and oddly familiar beauty dressed in housemaid's garb whom he feels compelled to rescue from a most disagreeable situation. He has sworn to find and wed his mystery miss, but this breathtaking maid makes him weak with wanting her. Yet, if he offers her his heart, will Benedict sacrifice his only chance for a fairy tale love?"

Opinião:

Depois de ter lido um livro tão intenso como o Gone Girl, tinha que ler qualquer coisa mais leve e que restaurasse a minha fé nas pessoas e no amor. E que maneira melhor de o fazer, do que ler um livro da Julia Quinn? Foi assim que voltei à saga da família Bridgerton, com este An Offer From a Gentleman

O início do livro tem uma forte ligação com o conto de fadas da Cinderela. Aliás, o início do livro É a história da Cinderela. Isso, ao início, deixou-me um pouco de pé atrás, porque não estava à espera de um recontar deste conto num livro da Julia Quinn, mas depois percebi que a história leva um rumo diferente e que o início do livro adquire uma atmosfera meio mágica e lança o mote para o início atribulado da relação entre as duas personagens principais: Benedict Bridgerton e Sophie Beckett. Ambos conhecem-se num baile de máscaras e apaixonam-se um pelo outro, pois está claro. Mas enquanto ela sabe quem Benedict é (quem não reconhece um Bridgerton?), a identidade dela permanece um mistério para ele, ficando sempre na memória como a Lady in silver. Tal como na Cinderela, no fim do baile ela desaparece e volta à sua vida de empregada em casa da madrasta e das suas duas filhas.

Sophie é uma rapariga que enfrenta dificuldades desde o início da sua vida, por ser filha bastarda de um conde e por passar a empregada da madrasta que a odeia com todas as forças do seu ser. Mas é quando ela se volta a encontrar com Benedict que a história volta a ganhar fôlego. E que fôlego! Benedict é um homem confiante, galante, sedutor e que consegue aquilo que quer através da sua persistência e teimosia. Por outro lado, Sophie tem um forte sentido de si mesma, tem uma mente própria e é forte por tudo aquilo que passa. Como são os dois de classes sociais diferentes, cada um tem uma visão da vida e de como as coisas devem ser, diferentes. E é isso que causa algum atrito entre eles e um "não podemos ficar juntos... mas anda cá, beija-me... mas não posso! vai-te embora... *assolapam-se contra uma parede*" E é esta dinâmica que é tão gira e que me faz voltar aos livros da Julia Quinn. 

Julia Quinn tem uma maneira fantástica de contar as suas histórias que nos faz querer entrar naquele mundo, no mundo da família Bridgerton, no início do século XIX. A escrita é bem-humorada, irónica, cheia de emoção, leve e sentimo-nos muito próximos de todas aquelas personagens. Com os seus livros conseguimo-nos rir, esboçar sorrisos aparvalhados, emocionarmo-nos, suspiramos e terminamos cada livro com um sorriso nos lábios. Parece que depois de lermos um livro dela sentimos que o equilíbrio voltou à nossa vida e podemos seguir em frente. Mais uma vez, adorei!

5/6 - Muito Bom

(Esta leitura conta para os desafios Mount TBR Reading Challenge e para o Monthly Key Word Challenge)

Sem comentários: