2 de julho de 2013

Top Ten Tuesday - Top 10 Livros Mais Intimidantes

Esta semana deixo-vos aqui o meu top dos 10 livros que acho mais intimidantes, seja pelo seu tamanho, conteúdo ou pelo facto de as expectativas serem demasiado altas e eu tenho medo de não gostar tanto como os outros dizem.



1. Les Miserables - Victor Hugo - Este é intimidante pelo seu tamanho mas, também, pela expectativa que tenho dele. Vi duas versões cinematográficas deste filme e gostei de ambas, pelo que já sei um pouco da história. E digo "um pouco" porque um livro com cerca de 1000 páginas não se pode resumir ao que é mostrado nos filmes. É tão intimidante que comecei a lê-lo em Janeiro e não lhe peguei mais...

2. A Divina Comédia - Dante Alighieri - Intimidante pelo tamanho, pela época em que foi escrito, pelas complexidades da própria obra que eu tenho medo de não entender. Quando penso em ler este livro, penso também que deveria ler umas dezenas de outras obras antes, para poder compreender melhor certas referências que possam aparecer pelo caminho.

3. Anna Karenina - Leo Tolstoy - O que costumo ouvir deste livro é que adoram ou não acham grande coisa. Tenho cá o livro em casa, ofereci-o à minha mãe que demorou praticamente 6meses a lê-lo, mas adorou. É mesmo daqueles livros que eu tenho medo de lhe pegar e ficar super desiludida...

4. O Cemitério de Praga - Umberto Eco - Do Eco li O Nome da Rosa que adorei. Mas sei que é preciso uma grande bagagem para se ler os livros do Eco. Este intimida-me precisamente por causa disso: não sei se tenho bagagem suficiente para apreciar e perceber este livro que, pelo que percebi, tem muito por onde se lhe pegar.

5. Os Três Mosqueteiros - Alexandre Dumas - Deste senhor já li um outro calhamaço, O Conde de Monte Cristo, que a-do-rei. Mas, mais uma vez, intimida-me o tamanho do livro (não é que o outro seja mais pequeno...) e a expectativa de ter lido uma obra anterior tão boa que depois me leve a achar esta não tão boa. Tenho como referência a minha mãe que o leu quando era ainda adolescente e tornou-se num dos livros preferidos dela.

6. The Once and Future King - T. H. White - Pegar na lenda arturiana e recontá-la, transformá-la, adaptá-la é sempre coisa que me causa alguma apreensão, porque sou um bocado picuinhas quando tocam neste tema. Tenho imensa curiosidade para o ler, tenho-o aqui no Kobo, mas sempre que penso em pegar-lhe é um "ah, se calhar agora é melhor não... noutra altura". E andamos nisto há que tempos.

7. The Red Necklace - Sally Gardner - Tenho o audiobook narrado pelo Tom Hiddleston. Percebem, agora, porque é que me sinto intimidada por este livro?

8. Here Be Dragons - Sharon Kay Penman - O livro é grande e é ficção histórica. Passa-se na Idade Média e é sobre uma época particularmente turbulenta na história do País de Gales, uma região sobre a qual a ficção histórica se centra pouco. O meu medo é que soe mais a livro de história do que propriamente a obra de ficção, uma vez que o livro tem mais de 700 páginas...

9. House of Leaves - Mark Z. Danielewski - Quando li a sinopse deste livro pensei logo que queria muito ler este livro. Depois comecei a ler opiniões e percebi que para ler este livro é preciso ir mentalmente preparado porque é bastante complexo e um bocado "mindfuck". Mas que toda a gente diz que é fantástico! Livros complexos nunca me assustaram, mas "mindfuck", "fantástico" e 1000 páginas mete um bocado de medo...

10. O Festim dos Corvos + O Mar de Ferro - George R. R. Martin - Depois dos dois volumes anteriores terem sido fantásticos, surpreendentes, cheios de "twists", tenho receio de que estes dois sejam mais amenos, à falta de palavra melhor. O Martin elevou bastante a fasquia com A Tormenta de Espadas e A Glória dos Traidores e temo que seja difícil de superá-los. A ver vamos...

(O Top Ten Tuesday é uma rubrica semanal do blog The Broke and the Bookish)

Sem comentários: