23 de agosto de 2013

Opiniões: quando elas influenciam as nossas experiências de leitura

(imagem daqui)

Este mês deparei-me com uma leitura que ansiava há muito fazer. The Broken Sword, de Poul Anderson, é considerado um dos clássicos da fantasia e tinha-o em ebook porque, uma vez em busca de livros que tivessem a ver com mitologia nórdica, fiquei interessada neste. Como chegou o mês de o começar a ler, fui fazer algo que costumo fazer antes de iniciar uma nova leitura: fui ver opiniões e comentários no Goodreads e alguns na blogosfera. E vai daí, no decorrer da leitura, que não me estava a deixar empolgada por aí além, comecei a pensar nisto: fui ler o livro com demasiadas expectativas que vinham das críticas que tinha visto antes, pela internet fora. Então, até que ponto as opiniões de outros leitores ou bloggers influenciam a nossa experiência de leitura? Será que, se não tivesse lido essas opiniões, estaria a desfrutar mais do livro do que realmente estou?

Como blogger e interessada em conhecer outros livros, outras histórias, é claro que vejo muitas opiniões em blogs que acompanho, no Goodreads ou em outros locais dedicados à literatura. Vejo porque gosto de me manter informada, ou porque tenho curiosidade em relação a um certo livro ou porque quero saber o que aquela pessoa em específico achou de uma certa obra. E são estas opiniões escritas por outras pessoas, segundo os seus pontos de vista pessoais e de acordo com as experiências enquanto pessoas e leitoras, que vão moldar as opiniões dos livros que lêem. Tal como acontece comigo, quando escrevo as minhas. E é, às vezes, por causa dessas opiniões, que fico com vontade, ou sem ela, de ler um determinado livro. E ainda há aquelas opiniões que lemos e pensamos "estava com dúvidas quanto a este livro, mas depois de ler esta crítica, acho que o vou comprar!"

Numa altura em que a comunicação social dedica pouco espaço à literatura e à crítica literária, penso que os bloggers acabam por fazer esse trabalho e influenciar um pouco aquilo que se vai lendo por cá. As pessoas querem ler as críticas para saber se vale a pena ou não ler um livro, ou só para saber o que mais gente achou sobre o livro que elas leram. Nós influenciamos, mas também somos influenciados. Também por causa de algumas opiniões ficamos com a certeza de que não vamos gostar do livro X e que o livro Y não faz nada o nosso género. Mas e quando partimos para uma leitura a achar que aquilo vai ser o máximo, as expectativas são tão altas e acabamos por nos sentir defraudados, porque não estamos a gostar assim tanto? "Mas toda a gente gostou deste livro, porque é que eu não gosto? Falhou-me alguma coisa? Será que não percebi a obra?"

É neste patamar que eu estou. Ao ler um livro que alguns comparam com a trilogia The Lord of the Rings, e alguns atrevem-se a dizer que é superior, fui ler o The Broken Sword com as expectativas em alta, porque adorei a obra de Tolkien. E eis que começo a ler, e a metade do livro já me sinto defraudada, porque não acho que seja igual, ou superior ou sequer comparável ao LOTR. Apesar de ambos os livros terem uma influência fortíssima da mitologia europeia, nomeadamente a nórdica e a celta, a narrativa é diferente, a estrutura é diferente e a história não tem nada a ver. É um bom livro, no meu entender, mas será que se não tivesse lido as críticas, podia achar que era um livro excelente? Isso nunca ficarei a saber, como é óbvio. Mas cria-se este conflito: será que eu veria este livro com um olhar diferente, se não tivesse lido nada sobre ele, a não ser a sinopse? Aquilo que se escreve nestes espaços acaba por moldar a nossa experiência na leitura e levar-nos a pensar que vamos adorar/detestar um determinado livro baseado somente na opinião de outra pessoa, e não na nossa.

Não trago aqui respostas nem sei se cheguei a alguma conclusão. Só quis deixar aqui este texto para reflectir um pouco sobre a forma como as nossas leituras são influenciadas pelas opiniões dos outros, quer sejam boas ou más. Em último caso, temos que ser nós próprios a ler para saber se gostamos ou não. Mas uma crítica literária pode levar-nos a não ler um livro que, se calhar, até poderíamos gostar, ou a ler um livro que é tido como muito bom e depois verificamos que afinal não é bem assim. As opiniões são pessoais, não são verdades absolutas. Mas às vezes entramos em conflito porque queríamos que a nossa opinião correspondesse às opiniões que lemos anteriormente. Cada um tem os seus gostos e já sabemos que tipo de livros, à partida, gostamos ou não gostamos. Mas é preciso filtrar o que lemos na internet, lembrarmo-nos que aquilo que lemos espelha os gostos e experiências daquela pessoa em particular. Não temos que nos sentir menos inteligentes porque não gostámos de um clássico que todos adoram, nem temos que nos sentir especiais porque adorámos um livro que nem toda a gente gosta. Gostos não se discutem.

Quanto ao The Broken Sword, já escavei mais um pouco no Goodreads e noutros locais, e encontrei pessoas que, tal como eu, não o acham assim tão bom. Há espaço para todos os tipos de opinião, há espaço para todos os gostos e quando lemos outras opiniões é essencial que nos mantenhamos centrados naquilo que gostamos, e se aquele livro será, ou não, uma boa leitura para nós. Ou seja, pensar se vamos ler aquele livro porque queremos, porque realmente nos interessou ou se o vamos ler porque aquela opinião foi positiva e nos pareceu bem. Certamente que para cada opinião boa, há uma má. É sempre bom fazer "estudo de mercado" mas, no final, o melhor mesmo é ver aquilo que o nosso instinto enquanto leitores nos diz. Como se costuma dizer, opiniões: cada um com a sua. E todas são válidas.

E a vocês? Já vos aconteceram situações destas?

4 comentários:

addle disse...

Concordo plenamente contigo. Muitas vezes não leio um livro porque vejo críticas no GoodReads que não são nada favoráveis e fico a pensar "será que vale mesmo a pena?". No entanto, os livros que vêm com a publicidade "o novo Senhor dos Anéis" ou "o novo Harry Potter" deixam-me sempre de pé atrás. É melhor deixarem os leitores decidirem isso.

Já agora, conheces alguns livros com componente da mitologia nórdica? Acabei agora de ler "A Marca das Runas" e adorei. Gostava de ler mais do género.

Diana Marques disse...

Sim, quando fazem essas comparações então, uma pessoa fica de pé atrás, até porque por vezes têm pouco a ver com as obras que mencionam. É só marketing.

Em relação à mitologia nórdica, por acaso tenho alguma curiosidade quanto esse que mencionaste. Outros livros com a mesma componente, tens este que eu estou a ler, o "The Broken Sword" que se passa nos mundos e com personagens da mitologia. Outros que são do género mas ainda não li: "American Gods", do Neil Gaiman, "Ragnarok", da A. S. Byatt (que quero muito ler!), "A Lenda de Sigurd e Gudrun", do Tolkien. Atenção que eu não li estes livros, mas são aqueles sei que existem.
Se quiseres mesmo aventurar-te na mitologia, tens sempre o Edda em prosa, o Edda poético e as sagas islandesas. Estas são obras mesmo do período medieval.

Jacqueline' disse...

É verdade que as opiniões já me fizeram subir as expectativas, mas para resolver o problema, não leio logo a seguir o livro, fico só com a ideia de que ele é bom/que o quero ler e uns mesitos depois, com menos expectativas inicio a leitura :)
O pior é quando as pessoas me emprestam o livro, para o ler logo a seguir, mas até agora, só aconteceu uma vez ter detestado o livro

Patrícia disse...

Olá Diana,
A mim acontece regularmente não achar fantástico um livro que imensa gente gostou. (não consigo, por exemplo, achar qualquer piada à saga Kushiel)
As expectativas são uma treta. E o acharmos que temos que gostar de determinado livro também. Mas continuo a adorar ler e falar sobre livros e a internet permitiu que, de uma forma rápida e simples, consigamos conhecer várias opiniões sobre determinado livro e isso é óptimo.
Boas leituras