18 de outubro de 2013

Dentro do Segredo - Opinião

Título: Dentro do Segredo: Uma Viagem na Coreia do Norte
Autor: José Luís Peixoto
Editora: Quetzal
Páginas: 236
Sinopse:
"Desde o interior da ditadura mais repressiva do mundo, desde um país coberto por absoluto isolamento, Dentro do Segredo. Em abril de 2012, José Luís Peixoto foi um espectador privilegiado nas exuberantes comemorações do centenário do nascimento de Kim Il-sung, em Pyongyang, na Coreia do Norte. 

Também nessa ocasião, participou na viagem mais extensa e longa que o governo norte-coreano autorizou nos últimos anos, tendo passado por todos os pontos simbólicos do país e do regime, mas também por algumas cidades e lugares que não recebiam visitantes estrangeiros há mais de sessenta anos. 

A surpreendente estreia de José Luís Peixoto na literatura de viagens leva-nos através de um olhar inédito e fascinante ao quotidiano da sociedade mais fechada do mundo. Repleto de episódios memoráveis, num tom pessoal que chega a transcender o próprio género, Dentro do Segredo é um relato sobre o outro que, ao mesmo tempo, inevitavelmente, revela muito sobre nós próprios."

Opinião:

A minha mãe ofereceu-me este livro pouco depois de ele ter sido publicado e estava ali na minha estante a pedir que eu o lesse. Habituada à sua escrita e fã da obra de José Luís Peixoto sabia, mais ou menos, o que esperar do autor. Assim, Peixoto leva-nos consigo à viagem que fez ao regime mais fechado do mundo: a Coreia do Norte. São-nos relatados os preparativos anteriores à viagem e a viagem em si. 

Gostei bastante deste livro pela viagem que nos é relatada. A descrição das pessoas, dos locais, das diferenças atrozes no contexto social e político entre nós, ocidentais, e os norte coreanos, todas as restrições que são impostas aos turistas que lá conseguem ir, a idolatração dos seus líderes... Neste sentido, é um livro fascinante por nos transportar para um local do qual sabemos muito pouco, sobre o qual a informação é escassa e por podermos perceber as impressões do autor sobre aquele país. Dá-nos a impressão de que o povo da Coreia do Norte vive num estado de ilusão perpétua (forçada, provavelmente) e de glorificação dos seus líderes através dos vários monumentos e museus que foram construídos em sua homenagem.

Contudo, senti falta da magia da prosa de José Luís Peixoto. Faltou-me qualquer coisa a que estava habituada nos livros anteriores dele. Tudo bem que o que li dele foi ficção, e este livro não o é. Logo, o registo é diferente. Mas achei que o livro é simplesmente uma descrição de pessoas, sítios e momentos. É possível ficarmos espantados com algumas cenas que nos são descritas, mas não com a linguagem utilizada.

De forma geral é um bom livro de viagens e, ainda mais, sendo esta uma viagem para um país fechado ao Ocidente, o que o torna interessante nesse aspecto. Mas a escrita não é brilhante, não nos faz virar as páginas sofregamente. Nesse aspecto soube-me a pouco, embora tenha gostado do livro.

4/6 - Bom

Sem comentários: