7 de abril de 2014

O Feiticeiro e a Sombra - Opinião

Título: O Feiticeiro e a Sombra (Ciclo Terramar #1)
Autor: Ursula K. Le Guin
Editora: Editorial Presença
Páginas: 179
Sinopse:
"O universo de Terramar, simultaneamente tão semelhante e diferente do nosso, é, sem dúvida, uma das maiores criações da literatura fantástica, e o poder misterioso e mágico que emana da narrativa, a sensibilidade que ilumina os momentos de profunda sabedoria, a intensidade das personagens, o estilo elegante e cristalino conquistam-nos de imediato e rapidamente nos arrebata para os meandros dos seus reinos imaginários. E é assim que, ao longo destas páginas enantadas, acompanhamos Gued, aquele que um dia virá a ser arquimago de toda a Terramar, na sua interminável demanda num cenário mítico de magia e de dragões, castelos ensombrados por terrores inomináveis, de embustes e ciladas, de um suspense quase insustentável, de encontros místicos, de amizades inquebrantáveis, de sábios poderosos e de forças tenebrosas do reino das trevas e da morte. Gued não pode vacilar, qualquer fraqueza sua fará perigar o equilíbrio que sustenta o mundo... e a sombra maléfica que ele libertou, gélida e silenciosa, só está à espera desse momento para devastar, com as suas asas negras, o mundo inteiro."

Opinião:

O Feiticeiro e a Sombra é o primeiro livro do ciclo Terramar, da Ursula K. Le Guin. É, também, o primeiro livro que leio desta senhora e, por isso, ainda tinha mais curiosidade para o ler, uma vez que ouço sempre falar maravilhas da autora. Neste livro conta-se a história do feiticeiro Gued, desde a sua infância, passando pelas muitas aventuras e viagens que ele faz, até se tornar na sua verdadeira essência, naquilo para o qual nasceu.

Apesar de ser um livro com um tom infanto-juvenil, a mensagem que daqui se retira é muito forte. Há grandes contrastes entre luz e sombra, referências ao Equilíbrio e à importância das palavras e dos nomes. Tudo são metáforas para o crescimento interior de Gued, para o funcionamento harmonioso do mundo e para o reconhecimento das dualidades dentro de todos e em todas as coisas. Gostei muito destes aspectos, destas metáforas e de como a viagem de Gued é feita num esforço para entender e interiorizar estes ensinamentos.

Gostei também do mundo de Terramar, ou Earthsea. Estou habituada, pelo menos nos livros de fantasia que já li, a que a narrativa se passe num continente, ou numa ilha grande que se sobrepõe a outras que, eventualmente, possam existir. Neste caso, Terramar é um conjunto de ilhas e ilhéus, uns mais dispersos, outros mais aglomerados, mas as deslocações fazem-se quase todas por mar, e o mar tem um grande papel no livro. Há, também, um dragão. E apesar do episódio entre Gued e o dragão ser relativamente curto, foi uma das minhas partes preferidas. Este é um dragão Tolkieniano, que pensa e que é dotado de inteligência. E, por falar em animais, há um otaque que, apesar de ser um animal inventado, eu achei adorável! 

Como podem ver, apesar do tom infanto-juvenil, este é um livro recheado de simbolismos, de metáforas, de um mundo muito próprio, de criaturas fantásticas, de ensinamentos e cuja demanda do herói é, basicamente, interior. Assistimos ao crescimento de Gued na escola de feiticeiros, que aprende os nomes das coisas, os feitiços, que desafia os seus mestres, mas que também confronta as suas fraquezas para poder ser alguém melhor e para assumir o seu verdadeiro poder. Gostei muito da personagem de Gued, um rapaz, no início, muito orgulhoso e convencido, ansioso para mostrar os seus dotes enquanto feiticeiro, mas que acaba por se tornar um jovem mais virado para o seu interior, solitário, humilde, à procura da sua Sombra.

Em suma, gostei muito deste mundo de Terramar, dos seus feiticeiros, de Gued e do seu otaque, do dragão e de todos os significados subjacentes a esta narrativa. É muito fácil de ler este livro e, no fim, ficamos com uma série de percepções que não tínhamos no início da leitura. Gostei muito e recomendo para quem é fã de fantasia, ou para quem quer iniciar a sua petizada neste género.

5/6 - Muito Bom

(Esta leitura conta para o desafio TBR Pile Reading Challenge)

2 comentários:

Tita disse...

Li o Ciclo Terramar o ano passado e adorei!! =D
Fico à espera da tua opinião sobre os restantes livrinhos ;-)
Bjs

Neptuno_avista disse...

Lembro-me que li esse livro já há uns bons anos atrás e que até gostei. Mas depois só havia esse e um outro (para aí o terceiro, quarto ou o quinto do ciclo) na biblioteca. Li-o e já não gostei tanto - claro que não ter lido os anteriores ajudou a isso. Mas ando com vontade de tentar ler a série toda uma vez que tenho um maior acesso a livros agora :)
Beijinho