Avançar para o conteúdo principal

Top Ten Tueday - Top 10 livros mais invulgares que já li


Numa época em que há bastante variedade literária, tanto de géneros, como autores, temas, ao mesmo tempo parece que os livros contam sempre as mesmas histórias. Isso é bom, porque por vezes só queremos ler aquele autor, ou livros sobre aquele tema e temos muito por onde escolher. Mas às vezes queremos ler qualquer coisa diferente, que se destaque... E é sobre isso o Top Ten Tuesday de hoje. Aqui estão os livros que, por algum motivo, li e os achei diferentes.


1. Life of Pi - Yann Martel - Foi uma leitura excepcional e destacou-se pela originalidade da narrativa, pela história de Pi e do seu tigre Richard Parker, por aquela viagem entre o maravilhoso e o mundo real. E o final do livro é indescritível. Adorei. Recomendadíssimo!!


2. Filha do Sangue - Anne Bishop - Para mim a leitura deste livro foi invulgar porque foi o primeiro livro de fantasia que li e o mundo criado pela autora era diferente de tudo o que eu tinha lido até aí. Ainda hoje, penso que foi um dos livros mais originais que li, dentro do género, precisamente pela originalidade das personagens e do worldbuilding.


3. Flowers in the Attic - V. C. Andrews - Esta leitura é bastante recente e foi muito forte. Afinal, a história de quatro irmãos que ficam fechados no sótão de um casarão, durante anos, e que têm de sobreviver sozinhos, é dose. Além disso, mostra o quanto a ganância se consegue sobrepor ao amor, principalmente ao amor pelos filhos, quantas mentiras se dizem e os meios que se usam para conseguir o que se quer.


4. The Handmaid's Tale - Margaret Atwood - Uma distopia com o foco em figuras femininas, numa sociedade que as reprime e que as usa. Penso que este livro marca qualquer pessoa que o leia. É carregado de simbolismos e é assustador pensar que a nossa sociedade poderá caminhar para uma coisa destas.


5. Carrie - Stephen King - Uma história contada através de depoimentos e da investigação da polícia sobre uma noite de horror e o que a precedeu. Carrie é uma miúda especial mas, como todos que são levados ao limite, chega a um ponto que se vinga de todo o mal que lhe fizeram. Um clássico do horror e o primeiro livro que li do Stephen King.


6. Gone Girl - Gillian Flynn - Começamos a ler a história a pensar uma coisa, certos de que é por aquele caminho, e de repente a autora dá-nos com o livro na cara e o rumo muda completamente. Ai Gillian Flynn, "all the feels"!


7. A Canticle for Leibowitz - Walter M. Miller Jr. - Ficção pós-apocalíptica que se passa em três períodos diferentes. Uma leitura muito interessante, algo complexa mas, na minha opinião, compensa. Mostra como a humanidade está condenada a repetir os mesmos erros, apesar de toda a evolução.


8. American Psycho - Bret Easton Ellis - Querem um livro verdadeiramente perturbador mas, ao mesmo tempo, com pitadas de humor? Negro, pois está claro... Leiam este livro. É terrível e fantástico.


9. Lolita - Vladimir Nabokov - Um livro sobre um homem que gosta de raparigas na flor da idade, mas cuja história é contada de tal maneira que não conseguimos deixar de sentir simpatia por Humbert e deitar alguns olhares de culpa a Lolita. Ah pois...


10. O Perfume: História de um Assassino - Patrick Süskind - Um livro sobre um rapaz que tem uma capacidade olfactiva extraordinária e sobre a sua procura pela essência perfeita. É claro que, para isso, ele tem que matar pessoas. Mas a escrita de Süskind é tão poética que não deixamos de nutrir algum afecto por Grenouille. E o autor consegue descrever muito bem os cheiros à volta de Grenouille.

O Top Ten Tuesday é uma rubrica semanal da autoria do blog The Broke and the Bookish.

Comentários

WhiteLady3 disse…
Não sei se terei sentido afecto pelo Grenouille (sim, não sinto afecto por todos os psicopatas que leio, penso que é saudável), mas a escrita do Süskind! <3 Eu sentia os cheiros! O meu olfacto parecia outro!

Devo ser a única a quem Anne Bishop não diz nada. Talvez se o tivesse lido noutra altura tivesse outro impacto, mas não o achei assim tão original ou apelativo. :/
Diana Marques disse…
A trilogia da Bishop foi a primeira coisa de fantasia que li, por isso teve um grande impacto, porque era diferente de tudo o que eu tinha lido até à altura. Ainda hoje, gostanto!!

E sim, a escrita do Süskind é qualquer coisa... Há quem seja um mestre em descrever cenários, há quem o seja a descrever cheiros :P