30 de maio de 2014

A Dança dos Dragões - Opinião

Título: A Dança dos Dragões (As Crónicas de Gelo e Fogo #9)
Autor: George R. R. Martin
Editora: Saída de Emergência
Páginas: 571
Sinopse:

Esta sinopse tem spoilers para quem não leu, ou ainda está a ler, os volumes anteriores. Por isso, deixo-vos aqui o link para a sinopse, para quem a quiser ler.

Opinião:

Depois de os últimos dois volumes (equivalente ao 4º livro original) não me terem cativado nada por aí além, parti para a leitura deste A Dança dos Dragões (a primeira metade do livro 5) um bocado a medo e com expectativas baixas.

Este livro passa-se a seguir dos eventos do livro A Glória dos Traidores, de maneira que os eventos narrados neste livro ocorrem ao mesmo tempo daqueles narrados em O Festim dos Corvos e O Mar de Ferro. Sei, no entanto, que no próximo volume as duas narrativas acabam por se cruzar e juntar. O que mais me apelou para a leitura deste livro foi o facto de Martin voltar às personagens principais desta história, quando nos dois volumes anteriores inseriu personagens novas e deu destaque a outras que ainda não tinham tido voz. Por esta razão, estava bastante ansiosa para saber coisas sobre Daenerys, Jon Snow e Tyrion.

Os meus capítulos favoritos foram, sem sombra de dúvida, os de Jon e Tyrion, ao passo que desesperava com Davos e Daenerys. De forma geral, penso que o livro não tem grandes avanços. Vamos sabendo de algums pormenores interessantes, novidades que poderão vir a estremecer Westeros, revelações importantes, mas o ritmo da narrativa é muito lento. Por vezes os capítulos são maioritariamente descrições do ambiente e do estado de espírito da personagem, contendo pormenores da história e do sistema político e social de Westeros e das Cidades Livres, desde há centenas de anos atrás. 

Porém, por mais lento que o ritmo possa ser, o Martin escreve muito bem. E é isso que o safa. É a prosa brutal e directa, mas sempre fluida e fácil. Os capítulos de Jon e de Tyrion foram talvez os únicos que verdadeiramente devorei e me interessaram. De resto, gostei do livro pela prosa de Martin, pelas várias pequenas pistas e revelações que nos vão sendo dadas ao longo do livro, mas não o suficiente para me ter enchido as medidas. É sempre um prazer voltar a este mundo e a estas personagens, mas tenho a sensação de que o Martin não sabe o que há de fazer à história, uma vez que ela já tem tantos tentáculos e se estende por tantos sítios. Ainda assim, considero um bom livro e gostei mais deste do que dos dois anteriores, por causa do foco que voltam a ser as personagens principais. Vamos lá ver como será a segunda metade.

4/6 - Bom

(Esta leitura conta para o desafio TBR Pile Reading Challenge)

Sem comentários: