7 de junho de 2014

Rebecca - Opinião

Título: Rebecca
Autor: Daphne du Maurier
Lido no Kobo
Sinopse (do Goodreads):
"Rebecca, a dark psychological tale of secrets & betrayal, is Daphne du Mauriers best-loved work & was named Best Novel of the 20th Century at the Bouchercon World Mystery Convention.
After a whirlwind romance & a honeymoon in Italy, the innocent young heroine & the dashing Maxim de Winter return to his country estate, Manderley. But the unsettling memory of Rebecca, the first Mrs de Winter, still lingers within. The timid bride must overcome her husbands oppressive silences & the sullen hostility of the sinister housekeeper, Mrs Danvers, to confront the emotional horror of the past."

Opinião:

Este Rebecca, de Daphne du Maurier, era um dos livros que, nos últimos tempos, mais tinha curiosidade em ler. Tinha lido opiniões muito boas e, por isso, decidi lançar-me neste clássico.

Muito resumidamente, neste livro conhecemos a narradora da história, cujo nome próprio nunca chegamos a saber, que casa com Maximillian de Winter muito repentinamente. Por isso, passamos a conhecê-la como Mrs. de Winter. Max é dono de uma propriedade majestosa, em Inglaterra, Manderley, e é lá que vivem após a lua-de-mel. Contudo, há uma atmosfera pesada, de mistério, desde o início do livro. Desde o capítulo inicial, em que Manderley nos é descrita num sonho, no meio da bruma, da escuridão, da desolação, que percebemos que há uma aura de mistério, de algo não resolvido que vai afectar a vida de todas as personagens, e percebemos também que Manderley não é uma mansão qualquer.

Maximillian é um homem mais velho do que a narradora, que é uma jovem ingénua, sem grande experiência de vida, humilde e tímida. Ele, por outro lado, é um viúvo rico, emocionalmente distante e cuja vida está envolta em mistério, sobre a qual a jovem Mrs. de Winter não sabe praticamente nada. Contudo, ambos criam uma ligação e acabam por casar-se, embora tudo seja um pouco estranho, desde o início. Mas é quando chegam a Manderley que tudo começa a acontecer.

O primeiro aspecto curioso é o título: Rebecca. Quem não souber nada do livro pensa que Rebecca é o nome da personagem principal. Porém, Rebecca é o nome da primeira mulher de Max de Winter. E apesar de já ter falecido, Rebecca está em cada recanto, cada detalhe, povoando a casa, a propriedade e a mente da Mrs. de Winter. E Rebecca acaba por se tornar a figura principal da narrativa logo pelo facto de que a protagonista, Mrs. de Winter, não ter nome próprio. A presença de Rebecca é tão forte, tão esmagadora, que anula a da nova Mrs. de Winter, tão diferente da antiga dona de Manderley.

Temos também outra personagem forte e, por vezes, assustadora: Mrs. Danvers, governanta da casa e maior defensora de Rebecca de sempre. É através dela que sentimos a presença de Rebecca de forma mais "física", digamos assim, porque é ela que vai mantendo a organização da casa, os horários, os ritmos, tal e qual como eram na época de Rebecca. É ela que também vai instigando o medo a Mrs. de Winter e que adensa o ambiente em Manderley.

O que mais gostei deste livro foi do ambiente e da maneira como tudo é tão bem descrito. Fez-me lembrar clássicos da literatura gótica como Jane Eyre ou O Monte dos Vendavais, porque a natureza está muito presente, por vezes espelhando aquilo que se passa no interior de uma personagem, ou predizendo algo que está para acontecer. Adorei a atmosfera de mistério, quase de opressão por causa do legado de mulher perfeita de Rebecca, que acaba por assombrar a vida e o casamento do casal de Winter. Está tudo maravilhosamente bem escrito - Daphne du Maurier consegue criar aqui um enredo muito sólido e uma ambiência muito própria, bem como um retrato psicológico muito bem feito das personagens, descrevendo os seus medos, as suas angústias e dúvidas.

Em suma, gostei muito de andar pelos locais por onde Daphne du Maurier me levou, enredada na sua narrativa misteriosa e ensombrada, quer pelas personagens, pelos acontecimentos ou pela própria natureza gótica da paisagem. Tudo muito bem escrito, bem retratado, que nos envolve completamente e nos absorve, fazendo-nos sentir que estamos dentro da história. Pareceu-me tudo muito bem conseguido e se continuar aqui a escrever mais adjectivos, acho que nunca mais saio daqui. É um livro fantástico, com personagens inesquecíveis e um ambiente que assenta na perfeição a este tipo de história.
Recomendadíssimo!!

5/6 - Muito Bom

(Esta leitura conta para o desafio TBR Pile Reading Challenge)

1 comentário:

Rosana Maia disse...

Olá :)
A acrescentar à minha lista de leituras :)
Boas viagens

Rosana
http://bloguinhasparadise.blogspot.pt/