21 de março de 2015

Dia Mundial da Poesia

Já que hoje é o dia mundial da poesia e este mês o tema do Só Ler Não Basta é autores lusófonos, deixo-vos aqui um poema de uma poetisa portuguesa. Já cá pus Florbela Espanca, Ary dos Santos, Eugénio de Andrade... hoje trago Sophia de Mello Breyner.



Há cidades acesas na distância,
Magnéticas e fundas como luas,
Descampados em flor e negras ruas
Cheias de exaltação e ressonância.

Há cidades acesas cujo lume
Destrói a insegurança dos meus passos,
E o anjo do real abre os seus braços
Em nardos que me matam de perfume.

E eu tenho de partir para saber
Quem sou, para saber qual é o nome
Do profundo existir que me consome
Neste país de névoa e de não ser.

"Há cidades acesas na distância", em Poesia (1944)

Sem comentários: