Avançar para o conteúdo principal

Miss Peregrine's Home for Peculiar Children - Opinião

TítuloMiss Peregrine's Home for Peculiar Children (#1)
Autor: Ransom Riggs
Editora: Quirk Books
Páginas: 382
Sinopse:
"A mysterious island. An abandoned orphanage. A strange collection of curious photographs. It all waits to be discovered in Miss Peregrine's Home for Peculiar Children, an unforgettable novel that mixes fiction and photography in a thrilling reading experience. As our story opens, a horrific family tragedy sets sixteen-year-old Jacob journeying to a remote island off the coast of Wales, where he discovers the crumbling ruins of Miss Peregrine’s Home for Peculiar Children. As Jacob explores its bedrooms and hallways, it becomes clear that Miss Peregrine's children were more than just peculiar. They may have been dangerous. They may have been quarantined on a deserted island for good reason. And somehow—impossible though it seems—they may still be alive."

Opinião:

Andava há imenso tempo para ler este livro. Sempre que passava por ele nas livrariras tinha curiosidade de o ler, por causa da junção entre a parte escrita e a parte gráfica, uma vez que o livro contém várias fotografias antigas que, de alguma forma, ajudam a ilustrar as personagens e algumas situações dentro da história. Este foi um dos factores que me agarraram ao livro. Todas as fotografias são antigas e peculiares, ligando-se à história daquelas personagens muito bem, ajudando o leitor a imaginá-las. 

Quanto à história em si, a personagem principal é Jacob, um rapaz que cresce com as histórias fantásticas do avô sobre uma ilha onde o sol brilha sempre e onde tudo é pacífico e perfeito, de crianças com estranhas habilidades, de monstros que espreitam e que são perigosos, e que cabe a ele matá-los. Mas Jacob cresce, deixa essas histórias para trás e aos 16 anos a sua vida muda. Nesse contexto, Jacob descobre a casa da Senhora Peregrine e das suas crianças, todas peculiares, cada uma com um talento diferente e uma personalidade que parece aderir perfeitamente. A partir daqui, assistimos às aventuras de Jacob e ao seu deslumbramento com aquele mundo que ele julgava ser, somente, fruto da imaginação do seu avô.

Este livro tem um tom marcadamente infanto-juvenil, mas isso não me incomodou, de todo. Penso que a história está bem contada e lê-se muito bem. Dei por mim a virar as páginas muito depressa, apesar de ter demorado quase um mês a lê-lo (digo isto quase sempre, mas é verdade. Demoro mais tempo porque há dias em que, simplesmente, não tenho cabeça para ler, e as leituras vão-se arrastando). Algumas partes são previsíveis, mas penso que o são para aqueles que já têm algum historial enquanto leitores. Penso que para uma criança ou jovem irá funcionar muito bem. Há mistérios, criaturas estranhas, uma panóplia de crianças com poderes especiais, a Senhora Peregrine que toma conta de todas e que mantém aquele mundo, ela própria peculiar, há perigos que espreitam e que têm de ser combatidos, e há Jacob, um adolescente que acaba por se descobrir a si próprio e fazer sentido da sua vida.

Este é só o primeiro livro de uma trilogia e o fim do livro é aberto. Não há uma conclusão, quem quiser saber como vai acabar toda aquela saga, terá que ler os seguintes. O fim deixou-me sentimentos mistos. Já li várias sagas e trilogias e, apesar de apontarem quase sempre para o livro seguinte, deixando pontas soltas e coisas por resolver, este deixa mais do que isso. Parece que acaba a meio de algo e que, para saber o resto, temos que pegar no livro seguinte. Deixa tudo em aberto, quase todas as perguntas permanecem e não há um sentido de conclusão. Não há, realmente, um fim. 

Em relação às personagens, gostei imenso da Senhora Peregrine e da relação entre a história narrada e as fotografias, algumas, aliás, bastante estranhas e quase assustadoras. Penso que a ligação está muito bem feita e é uma ideia original, dá outro sabor ao livro. Quanto a Jacob e às crianças peculiares, também gostei da dinâmica entre todos e das amizades que se criam, das coisas que vão descobrindo, das verdades que se vão revelando. 

De forma geral, achei este um bom livro, uma boa leitura, mas nada de espectacular. Talvez porque não sou o público alvo da obra, aí talvez me tivesse deslumbrado mais se estivesse mais perto da idade do protagonista. Ainda assim, reconheço a sua qualidade e irei, certamente, ler o seguinte para saber o que acontece às personagens. 

4/6 - Bom

Comentários

Oioi!

Quando li este livro tinha as expectativas muito altas e acabei por me desiludir um bocadinho e perdi a vontade de dar continuidade à trilogia, mas fico à espera da revisão do segundo livro quando leres :) Pode ser que lhe dê uma segunda oportunidade!

Beijinhos
Diana Marques disse…
Olá!
Eu inicialmente julguei que fosse um livro mais ligado ao terror, por causa da capa do livro e das fotografias que o integram, mas depois percebi que era fantasia. Eu gostei do livro, deu para entreter e para me cativar o suficiente para querer saber o que acontece nos próximos :)

Beijinhos!