Avançar para o conteúdo principal

The Lion, the Witch and the Wardrobe - Opinião

Título: The Lion, the Witch and the Wardrobe
Autor: C. S. Lewis
Lido no Kobo
Sinopse:
"They open a door and enter a world.

Narnia...the land beyond the wardrobe, the secret country known only to Peter, Susan, Edmund, and Lucy...the place where the adventure begins.

Lucy is the first to find the secret of the wardrobe in the professor's mysterious old house. At first, no one believes her when she tells of her adventures in the land of Narnia.

But soon Edmund and then Peter and Susan discover the Magic and meet Aslan, the Great Lion, for themselves. In the blink of an eye, their lives are changed forever.
A fully illustrated version of the most popular book in The Chronicles of Narnia, with glowing full page artwork and an abridged text for easier reading."

Opinião:

Quase toda a gente que gosta de fantasia já leu As Crónicas de Nárnia. Pois eu aqui me confesso: nunca li. Até ao dia que terminei este The Lion, The Witch and the Wardrobe que, por ordem de publicação é o primeiro livro, mas na ordem cronológica da história é o segundo livro. Preferi começar a seguir a ordem de publicação e não a cronológica, porque se o C. S. Lewis publicou a saga assim, alguma razão tinha. Por isso, é essa a ordem que seguirei.

Passando à história propriamente dita, este é um livro infantil que conta a história de quatro irmãos que acedem a Nárnia por acaso. Lucy, Edmund, Susan e Peter foram para casa de um professor durante a Segunda Guerra Mundial, e isto mostra uma preocupação real da época - as criança eram, realmente, enviadas para zonas mais rurais para evitar baixas infantis durante os bombardeamentos.

Os quatro irmãos acedem, então a Nárnia por intermédio de Lucy, a irmã mais nova que descobre o guarda-roupa mágico que serve de porta de entrada para Nárnia. Aí descobrem um mundo num inverno perpétuo, governado pela Bruxa Branca, uma bruxa má, obviamente. O resto do livro lida com o papel destes irmãos em fazer com que Nárnia volte a ser o que era, livre da influência da bruxa e tendo como salvador o tão afamado leão Aslan.

O livro é claramente para crianças, logo a partir da linguagem que Lewis emprega na narrativa, fazendo interpelações directas ao leitor, tentando criar uma ligação entre aquelas crianças da história e a criança que, provavelmente, está a ler o livro. A linguagem é simples, clara e consegue criar essa ligação e empatia com as personagens. Gostei muito de Lucy, que é a mais nova e a mais ingénua, inocente, mas também aquela que acredita no poder do bem.

Como é sabido, Lewis era um medievalista, e o livro está carregado de imagens e simbolismos medievais, desde logo o mais óbvio: o leão Aslan como uma figura de Cristo. A presença do cristianismo e dos ideais cristãos são vincados neste e, pelo que soube, nos restantes volumes e isso foi propositado. Tolkien e Lewis discutiam, aliás, muitas vezes sobre isto, porque Tolkien achava que a religião não devia estar escarrapachada num livro de fantasia, enquanto Lewis achava que lhe dava outra dimensão.

Mas em jeito de conclusão gostei bastante desta introdução a Nárnia e espero saber, daqui a uns tempos, como voltam lá e que aventuras os esperam. O livro é curto, eu é que demorei imenso tempo a ler devido a contratempos pessoais e, por vezes, falta de vontade em ler. No entanto, é um livro de que gostei muito, pelo seu imaginário, pelas personagens, e acho que é um excelente livro para oferecer a uma criança para iniciá-la no mundo da fantasia. Para um adulto: é uma oportunidade de voltar a ver o mundo pelos olhos de uma criança.

5/6 - Muito Bom

(Esta leitura conta para o desafio Mount TBR Reading Challenge

Comentários